quinta-feira, fevereiro 24, 2011

O Analista Desenvolvedor “Rambo”

John Rambo é um veterano do exército americano. Inicialmente ignorado pela corporação, ele é sempre chamado para resolver situações fora de contorle. Com uma faca na mão e uma metralhadora na outra, ele mata facilmente todos os inimigos e volta com a missão cumprida para casa. No cinema, pelo menos, é assim.
João Nerd é um veterano Brasileiro em projetos de desenvolvimento de software. Os seus conselhos técnicos são ignorados pela gerência de projeto no começo do projeto. Quando o projeto foge ao controle, entretanto, ele é chamado. Com uma IDE na mão e a especificação de requisitos na outra, ele deve resolver todos os erros complexos, reorganizar a arquitetura interna do sistema, desenvolver os casos de uso atrasados, trabalhar como bombeiro, estar presente nos finais de semana e salvar o projeto. Na vida real de TI, infelizmente, é assim.
Nas empresas de TI, por incrível que pareça, vemos gerentes que tratam seus analistas desenvolvedores como hérois do cinema. Eles os chamam de “Guerreiros” e deles esperam atitudes heróicas para salvar projetos em crises. Exemplos de atitudes heróicas incluem:
  • Execução sem planejamento. “Faça de qualquer jeito. Se não funcionar, jogamos o código fora e pensamos em outra forma de resolve o problema.”.
  • Internalização dos problemas. Por falta de gestão de riscos e medo de negociar com os clientes, gerentes internalizam os problemas e os deixam a mercê da equipe técnica.
  • Horas extras voluntárias.
  • Horas extras não pagas. Também conhecidas como “horas bestas”.
O anti-padrão “Heroics” é catalogado como um dos “Classic Mistakes” (Erros Clássicos) no excelente livro Rapid Development”, de Steve McConnell. Em sua análise, McConnell destaca que este padrão é muitas vezes provocado pela atitude gerencial “Pode Fazer”, ao invés da atitude correta “Meça consistente o progresso da equipe através de relatórios de status”. Ao enfatizar demasiadamente a atitude “Pode fazer”, grandes problemas são mascarados até que se tornem desastres. Gerentes perdem, portanto, uma valiosa oportunidade de tomar ações corretivas nas fases iniciais de projeto devido à ênfase em heróismo das equipes de TI.
Outros erros clássicos de TI são enumerados no site de Steve McConneli. O livro citado acima e cuja imagem está abaixo traz excelentes dicas de como evitá-los e bater cronogramas complexos de projetos. Leitura indispensável para líderes técnicos e gerentes de projeto.
Rapid Development

Nenhum comentário: