sexta-feira, abril 15, 2016

Sete Pecados Capitais para a Medição


  1. Vaidade. Utilizar medições com o propósito único de fazer a organização, as pessoas e especialmente os gestores se sentirem competentes. Uma vez que bônus e recompensas estão geralmente atrelados a medições de desempenho, gestores tendem a esperar métricas favoráveis. Uma visão realista sobre o desempenho da organização pode parecer mais uma ameaça do que um ponto de partida para ações corretivas
  2. Provincianismo. Áreas funcionais ditando métricas de desempenho de modo que apenas o próprio gestor possa controlar (desempenho intrafuncional do processo se sobrepondo ao desempenho interfuncional)
  3. Narcisismo. Realizar a medição do ponto de vista "de dentro para fora" (inside out) em vez de considerar a perspectiva do cliente "de fora para dentro" (outside in)
  4. Preguiça. Assumir que já se sabe o que é realmente importante medir sem dedicar a isso esforço e pensamento adequado
  5. Mesquinhez. Medir apenas uma pequena parte daquilo que realmente importa
  6. Irrelevância. Implementar métricas sem o cuidado de pensar no seu impacto sobre o comportamento humano e, consequentemente, sobre o desempenho corporativo
  7. Frivolidade. Não levar as medições a sério, questionando métricas, encontrando desculpas para desempenhos insatisfatórios e buscando maneiras de culpar os outros


Michael Hammer, CBOK

Nenhum comentário: